segunda-feira, 6 de julho de 2009

Locomotivos para não andar sobre...

Você viria à India? 

Andar de trem na india é uma arte... É sério, não é pra qualquer um. Demora um bom tempo pra gente realiza o comportamento e todas suas nuanças. É uma loucura, pra não muito dizer que é um inferno de croweded.

Até ai nenhuma novidade, pais pobre trem lotado.. é sine qua non, condição de existência. A diferença tá é no behavior.. ma frend!


Mumbai é grande pra porra! Muito maior que São Paulo em extensão. Mais muitooo maior de grande, mesmo0!

Kra, cruzar a cidade aqui é um trampo, sem noção. Não existe marginais... puta confusão!

Ainda mais que não existe metrô... Aliás, isto já está sendo providenciando... As construções já começaram nas principais avenidas. Onde 1/3 de sua extensão já está tomada por entulhos e mais entulhos de concreto, terra, cabos de aço e colunas.

É importante salientar a preocupação social por de traz desse grandioso projeto. A utilização de máquinas é mínima. Por que o importante mesmo é garantir que todos tenham a feliz possibilidade trabalhar juntos sem que ocorra nenhum tipo alienação do trabalho.

Em miúdos, sabe aquela figura cartoonizada do sujeito com uma pazinha de areia cavando um buraco no chão... Pois é, isso explica porque está tudo em under construction...

Deu pra dá um realize do trânsito, já?!

Os trens então acabam sendo a única solução... e, porque não, motivo de orgulho pra população?! pobre... que não tem dinheiro pra pagar um motorista pra se estressar no trânsito em seu lugar!

Mas pensando pelo lado técnico, os trens urbanos realmente são bons. Porque são baratos, nunca se atrasam e e tem trem vindo e indo de tudo quanto é lado. É furdunso danado! Bão pra quem sabe Indi e tem Q.I. acima de 50.... Exagero?! Vê só...

Que tem trem, tem! O difícil é saber qual vem. Eu já peguei a manhã do meu horário, se eu perde ele tô fudido...


Tá, ai você vai pensa: " Pô, só pergunta pra alguém.." Bixo... se tem algo que vêm antes do sine qua non, antes da condição de existência... é a mentira indiana.

Kra é sério... Brasileiro é folgado, gosta de menti, também. Mas aqui chega a ser estúpido, num dá! Eles mesmos se perdem nas mentiras. Juro! São é caras de pau. Mentem lambuzados de peroba na cara... Tão nem ai se você sabe... se é mentira ou não. Nem pra disfarça... para tenta ameniza a "vergonha". Quando mentira é descoberta, de duas uma: ou vão te olhar com a cara de sonso, como quem não sabe o que está acontecendo; ou vão dar um gigantesco sorriso amarelo, acompanhado pelo chacoalhar da cabeça... Nossa, sinto raiva só de lembra!

Enfim, uma vez eu tava indo pra um apartamento em Powai.. e não sabia qual trem pegar.

O problema é que se você pede informação... mesmo a pessoa não sabendo... ela vai querer dá um palpite. E o palpite nunca começa com "EU ACHO..." é nessa que você se ferra.

Assim, se o kra demora mais que dois segundos pra responde uma pergunta do tipo não métrica nominal.. ou seja: SIM ou NÃO... Esquece... parte pra outro! Seu Q.I. é menor 50.. alta probabilidade de erro...

Portanto a minha técnica basicamente é a seguinte: Você pergunta pro fulano... Se ele NÃO demora mais que dois segundos você presta atenção só na metade do que ele fala. Mesmo porque, num dá pra entender direito... Eles falam como se tivessem com algo dentro da boca! Mastigando algo... sabe?! Aliás, vira e mexe eles mastigam algo... Enfim, isso não vêem ao caso agora..


O lance é você entender just a half of the way...


Chegado na metade do caminho pergunta pra outra pessoa... pode ter certeza que ela vai te dar um outro caminho... e asssim vai.. depois da terceira, quarta pessoa.. você achou o que tava procurando... simples assim!

No caso do trem que queria pegar pra ir a Powai, eu demorei só 4 pessoas. Na última, o kra me disse... que tava indo pra mesma estação. Então fiquei tranquilo.

O trem chego, agente embarco... e ficamos esperando ele sair da estação. Como o trem ia demora pra sai.. o sujeito começo a me matralhar com perguntas... As mesmas perguntas que todos me fazem: uér ar iu furon, rao long rave iu bim rear, do iu keime to istudi.. e por fim... com o característico sorriso amarelo: Do u laik India?


JURO POR SHIVA!!! Que é nessa ordem... desse jeito... sem tira uma vírgula...

E nesse meio tempo... me aparece um outro trem... na plataforma do lado.... LOTADO de gente... O meu tava também... mas dava pra respirar.... Já nesse... tinha gente se grudando nas janelas... do lado de fora... era muy doido!!!! E mais doido ainda foi o sujeito que tava comigo...

Ele pulo do trem... saiu correndo... e se enfio no meio do povo que tantava entra no outro... quase que ele fica... ou melhor parte dele...

Nisso o meu trem sai... e eu jah surto: "Fudeu... o kra me zuo... to no trem errado... FDP!"


Muito bem, voltemos ao método não mais tão confiável de busca indiana. Olhei pro primeiro sujeito na minha frente...


- Esse trem vai pra Powai?


- Vai


- E o outro trem, da plataforma do lado?


- Vai pro outro lado!

" ERRRRRR" pensei...


Confirmei com outro... e não é que eu tava no trem certo!




Mas de volta a estacão, os trens realmente são apertados... é diferente do Brás. Lá, ou ai, tem os horários de pico que é de manhã e de noite. Aqui os horários de pico são de manhã, de tarde e de noite... Tá sempre cheio... Sempre lotado... dificilmente você acha lugar pra sentar. Logo, você tem que procurar espaços estrategicante mais folgados, em pé.. que são os da porta do trem, cuja o qual fica aberta.

"Nossa, não é perigoso?" Pra ser sincero é o lugar mais seguro... porque todas as janelas lacradas com barras de ferro, logo se o trem bater, virar, pegar fogo, descarilhar, capotar.... Quem estiver na porta é o primeiro a se safar e quem estiver na janela, ah esse vai se ferrar!

Além disso, é fresquinho, é?! No, suor dos suvacos alheios... só o ventinho poluido da metropole batendo contra rosto... Às vezes você sente aquele cheirinho de esgoto... mas passa rápido!

Agora... talvez você tenha se perguntado... "Tá, mas como é que funciona pra entra e sai do trem, porque a coisa pega ai, né?! Cada um vai pra um canto.. coisa e tal"

Kra é justamente ai que tá a arte... Quando o trem surge na estação... o povo se desespera e dai começa a amontoação. Todos querem entrar... como se o trem fosse coração de mãe.

É óbvio, que pra quem tem Q.I. abaixo de 50... as propriedades gerais da matéria são desconhecidas... Logo a impenetrabilidade, ou seja, " dois corpos não ocupam o mesmo lugar ao mesmo tempo"... é algo totalmente abstrato.

Mas essa lei ai... vira e mexe... é esquecida e contrariada.. em muitas partes do globo!

Então como lidamos com isso...?! Pois bem... depois de muito observar o comportamento dos daqui.. Vi qui.. a melhor forma de ficar num bom lugar... é esperar... simplesmente esperar!!!

Deixo todo mundo se amontoar... se apertar... se esfregar... Aliás indianos não podem vê uma fila que já começam a se roçar! É sério, pode ter 5 pessoas no guichê.. os caras gostam de agir como o arroz daqui!!! Todos empapados... unidos... juntinhos... E se você fala:

- O guichê não vai fugi de você... Não precisa se encosta em mim... O tempo é o mesmo!

O kra faz cara de bosta... bosta de vaca... e continua te encostando!

Já num basta o calor... eles ainda gostam de fica espremidos... mesmo que tenham espaço de sobra!

Dai, quando todo mundo se empoleira no trem... você gentilmente embarca no vão da porta! É simples...

A única coisa ruim.. é que todas vez que o trem para num estação, você tem que descer e ficar paralelo a porta... para os desesperados se moverem.

Com relação ao fast trem.. e o slow! Só aconselho o primeiro quando você está no anti-fluxo, ou seja.. indo pro norte de manhã.. e pro sul de noite. Só... de resto é locura pega ele... mesmo estando na primeira classe...

"Nossa primeira classe, chique ein?!" Que nada... é imunda... lotada do mesmo jeito... as diferenças são mínimas... "As pessoas são mais educadas?" Depende do que você entende como educação... Pra eles a luta por espaço.. e roçassão um com outro é algo normal. Isso você não muda!

Então o máximo que eles fazem é pedir licença pra enfiar-se num espaço que não existe, ou seja esfregar-se em você... De resto se você tenta ensinar ou mostrar que não gosta de contato corporal e que o sujeito não vai pro lugar preterido... Ele vai fica putu, vai te xingar, acho eu, em indi ou maharastra... e não vai desistir de se mover!

O trem não tem tanta gente como na segunda... mas é apertado do mesmo jeito. Isso me deixou inquieto.. até que eu realizei o porquê.

Na segunda classe sentam sempre 4 no banco... na primeira 3. Isso num é por que eles são educados.. e por que realmente o banco fora concebido para justamente 3 pessoas. Na verdade..

Na segunda classe o povo é pobrezinho... mirradinho... maltrapilho e maltratado! Na primeira já são endinheirados.. gordos... folgados... sempre com alguma jóia de lado... e um celular grande e invocado...

Já fist class é menos crowded.. mas eles ocupam mais espaço

Por fim realizei que a diferença da classe baixa pra alta (porque média aqui não existe)... é quantidade de gordura.. e de jóias ordinariamente ornamentadas pelo corpo!

Quero fazer das palavras do Ti, as minhas... aos meus amigos que sinto falta...

" Indianos são bobos, a carne é escassa e a breja é meio cara a experiência é única, o aprendizado vale ouro e a saudade é um martelo



2 comentários:

  1. I dont undestand hafa! Please type in english

    ResponderExcluir
  2. Marcelooo!!

    Saudade de vc!!! Mto boas duas histórias!!!

    Beijo!!

    Marcela - USP

    ResponderExcluir

Anúncios

Not here, google! hahahaha
>